seg
jul 13th

Criando atalhos no Git ...

Atualizado em 29/09/2009


Depois de algum tempo usando o Git sentimos a necessidade de automatizar algumas tarefas repetitivas, então a partir do momento temos consciência do que estamos fazendo, podemos criar alguns atalhos de comandos para agilizar o trabalho. Os exemplos abaixo funcionam tanto para quem usa Linux como para Windows.

Dentro do seu branch de trabalho utilize o comando:

git config alias.st status

Caso o comando tenha mais que uma palavra coloque entre aspas.

git config alias.lg "log --name-only"

A estrutura acima é a seguinte:

git config – Comando modificador, onde podemos informar também – -system (para todo sistema) ou – -global (para o usuário atual);
alias – Chave do bloco que será alterado;
.st e .lg- Nome do seu atalho;
status e log –name-only- O comando git para onde seu atalho irá apontar.

Então ao digitar “git st” obteremos o resultado abaixo:

$ git st
# On branch working
# Untracked files:
#   (use "git add ..." to include in what will be committed)
#
#       README
nothing added to commit but untracked files present (use "git add" to track)

Para ficar mais rápido, podemos alterar os arquivos de configuração acrescentando os atalhos diretamente ao bloco [alias].

No Windows os arquivos podem ser encontrados nestes caminhos:

1 - C:\Pasta_do_seu_projeto\.git\config
2 – C:\Documents and Settings\Seu_usuario\.gitconfig
3 – C:\Arquivos de programas\Git\etc\gitconfig

No Mac:

1 - /Pasta_do_seu_projeto/.git/config
2 – /Users/Seu_usuario/.gitconfig
3 – /usr/local/git/etc/gitconfig
Obs: Os arquivos de configuração do Git não tem extensão.

No Linux:
Crie um arquivo como sudo na pasta etc/ com nome de gitconfig e coloque os atalhos como informado abaixo.

Onde a configuração será aplicada na seguinte hierarquia:
1 – Apenas ao projeto.
2 – Para todos os projetos do usuário.
3 – Para todo sistema independente de usuário.

Eu particularmente adotei atalhos que achei mais intuitivos, cada um pode escolher o que melhor lhe convier.

[alias]
  st = status
  cm = commit
  bh = branch
  ck = checkout
  lg = log -p
  lg1 = log --name-only

Também podemos utilizar atalhos mais sofisticados como:

[alias]
  cmm = commit -a -m
  rbmt = rebase master
  mgwk = merge working
  pullom = pull origin master
  pushom = push origin master
  mt = !git checkout master && git status
  wk = !git checkout working && git status
  inicia = !git checkout -b working

Desde que entendamos o que está se fazendo, não há limites para criar estes atalhos.

dom
fev 1st

Acessando diretórios Windows pelo shell do Linu ...

Coisas aparentemente simples que na prática sem uma dica acabam dando trabalho são frequentes na vida dos usuários Windows que pretendem conhecer e adotar o ambiente Linux. Segue uma dica não muito frequente em blogs ou tutoriais.

Como acessar,  por exemplo,  o diretório “c:\Arquivos de programas\Git” ? (Ele contem espaços em branco separando as palavras,  isto não é comum em Linux.)

Seguem três formas:

¹ cd /c/Arquivos\ de\ Programas/Git
² cd /c/'Arquivos de Programas/Git'
³ cd /c/"Arquivos de Programas/Git" 

1 – Usando barra invertida ( \ ) como caracter de escape;
2 -  Usando aspas simples ( ‘ );
3 -  Usando aspas duplas ( ” ).

Mais sobre comandos:

- Guia de comandos bash
- Comandos para se usar no Linux
- Comandos para manipulação de arquivos Linux